LIBRAS É REALMENTE O SEGUNDO IDIOMA DO PAÍS?

Michelle Andréa Murta
Universidade Federal de Minas Gerais

Raiana Dias
Secretaria Municipal de Educação de Montes Claros

Há muito se tem discutido nos diversos espaços sobre a oficialização da Libras como segunda língua de nosso país. Assunto este muito pertinente, principalmente no âmbito educacional uma vez que esta é o meio utilizado pelos sujeitos surdos na obtenção de conhecimentos e também comunicação. A Lei 10.436/02 reconhece a Libras como língua e com o Decreto 5.626, de 22 de dezembro de 2005, a Libras tornou-se componente curricular obrigatório, nos cursos de graduação de formação de professores e de fonoaudiólogos, e opcional para outros cursos de nível superior. Estes avanços incentivam o lançamento, em alguns casos de material didático de apoio aos cursos. Diante disso, após analisar os discursos tanto de indivíduos surdos quanto de ouvintes, surgem os questionamentos: Podemos afirmar que a Libras é a segunda língua oficial de nosso país? Se assim for, por que não possuímos bibliografias bilíngues? E o seu uso em espaços públicos? Se a Libras é de fato o segundo idioma oficial do país, por que se a necessidade de intérpretes ainda é uma constante em espaços de escolares? Por que após 15 anos de oficialização da língua, poucos são os falantes desta? Desejamos com este trabalho levar os leitores à reflexão, e quem sabe repensar nossa legislação e ensino.

Palavras Chave: Libras – Segunda Língua – Oficialização